• Home
  • Geral
  • Preso de ponta-cabeça em caverna por 27 horas, explorador teve uma das mortes mais trágicas da história
John Edward Jones explorou rede perigosa de cavernas com amigos e parentes (REPRODUÇÃO/YOUTUBE/REAL HORROR)

Preso de ponta-cabeça em caverna por 27 horas, explorador teve uma das mortes mais trágicas da história

John Edward Jones visitou uma rede subterrânea nos EUA e acabou em um buraco apertado, de cabeça para baixo, sem conseguir sair

A história do explorador John Edward Jones terminou numa das mortes mais angustiantes e devastadoras já registradas. Ocorreu em 2009, em uma rede de cavernas dos Estados Unidos, e é frequentemente relembrada em publicações virais, que ressaltam o caráter horripilante da fatalidade.

Tudo começou quando John e alguns amigos e familiares resolveram explorar as cavernas Nutty Putty, em Utah, depois do feriado de Ação de Graças. O grupo entrou na gruta por volta das 20h do dia 24 de novembro.

Com 26 anos na época e desde criança apaixonado por cavernas, o aventureiro queria encontrar o famoso canal Nascimento, uma passagem bastante estreita e mapeada que exigia aperto e contorcionismo para ser vencida.

John se separou do resto do grupo, que explorava áreas distintas da formação natural. Em certo momento, ele achou ter encontrado o canal e forçou a entrada por uma região estreita.

Mas aquele não era o canal Nascimento, e sim uma pequena série de buracos não mapeados extremamente apertados. Ele esvaziou o peito de ar para caber no buraco, mas, quando respirou novamente, ficou preso e com os braços abaixo do corpo, incapaz de se mover.

O explorador Kory Kowallis em uma das passagens estreitas da caverna em Utah
O explorador Kory Kowallis em uma das passagens estreitas da caverna em Utah (REPRODUÇÃO/JON JASPER)

Quando tentou voltar, John não conseguiu e, ao avançar ainda mais, ficou preso de cabeça para baixo em uma fenda apertadíssima, de 25 cm x 45 cm — localizada 120 m caverna adentro e 30 m abaixo da superfície.

Tentativa de resgate

O irmão de Josh achou-o pouco depois e tentou puxá-lo pelas pernas, mas o corpo dele estava preso demais. O grupo chamou o resgate, que chegou cerca de três horas depois. Abaixo, é possível ver um diagrama que mostra a posição em que ele ficou preso.

Foto: Reprodução/Twitter @Morbidful

A equipe usou roldanas e cordas para tentar içá-lo, mas o tempo era fundamental, uma vez que ficar de cabeça para baixo e apertado faz o coração trabalhar em um ritmo maior para superar a gravidade e enviar sangue para todo o corpo.

Segundo a polícia de Utah, cerca de cem pessoas estiveram envolvidas na tentativa de resgate de John, que durou 24 horas.

Em um dos momentos mais dramáticos, o resgate conseguiu retirar o aventureiro parcialmente da abertura, mas uma das polias se soltou da parede da caverna, provavelmente devido à argila  mole em todo o local.

Com a queda, os sinais vitais dele pioraram, e, na noite de 25 de novembro, ele foi declarado morto, após 27 horas preso no buraco. Ele deixou a esposa e uma filha de 1 ano.

O corpo de John Edward Jones foi deixado dentro da caverna, que foi fechada para o público, sem nenhuma previsão de reabertura.

 

 

Por R7