• Home
  • Leitura Dinâmica
  • C.E.O da clinica Saúde Livre faz alerta sobre cuidados preventivos e fala sobre falta momentânea de vacina contra a dengue

C.E.O da clinica Saúde Livre faz alerta sobre cuidados preventivos e fala sobre falta momentânea de vacina contra a dengue

Dra Rosane Orth Argenta reafirma que a prevenção através de cuidados sanitários são sempre necessários

Em seu perfil no Instagram a Dra Rosane ratifica a informação de que em face da grande demanda a vacina QDENGA já não esta disponível  em clinicas particulares. Com o aumento dos casos de dengue a procura foi muito alta. Por isso não há mais estoque.

E dada a prioridade de atendimento ao Ministério da Saúde a mesma ficará temporiariamente em falta no mercado. Mas tranquiliza àqueles que foram imunizados com a primeira dose, pois segundo ela o labóratório Takeda, que produz a QDENGA garantiu para os próximos dias o fornecimento, para que sejam aplicadas a segunda dose nos pacientes das clinicas brasileiras.

Para o SUS está programado a entrega de 6 milhões de doses em 2024, volume necessário para a imunização de 3 milhões de jovens com idade entre  10 e 14 anos nas cidades selecionadas pelo Ministério da Saúde.  Rosane Argenta se referiu ainda sobre a vacina do Instituto Butantã que está em fase final de estudos.

Assim que novamente liberada, a QDENGA poderá ser encontrada na rede SAÚDE LIVRE para ser aplicada em pacientes de 4 a 60 anos. Pacientes com idade superior poderão ser vacinados, caso haja uma prescrição médica.

Como se sabe, a dengue é uma doença sazonal e em períodos de chuvas costuma ter aumentos significativos de casos em vários estados brasileiros. Nos ultimos anos em função das alterações climáticas – muito calor e chuvas acima da média –  e do já conhecido descuido de parte da população, a multiplicação do mosquito transmissor do vírus foi acima do esperado.

Dra Rosane aproveita a postagem e aponta  a eficiência do uso de repelentes por pessoas de maior risco como gestantes,crianças e idosos, além de ” bater em uma tecla”  já  bastante difundida, mas sempre necessária: ” Os cuidados domésticos para evitar a proliferação do Aedes, ou seja a velha cartilha de não deixar objetos com  acumulado de água . Segundo dados, cerca de 75% dos insetos são criados em quintais, o que sinaliza para a necessidade de uma especial atenção dos moradores” .

Destaca ainda a ineficiência de ” receitas e conselhos” que circulam nas redes sociais de medicamentos ou remedios caseiros . ” Não temos conhecimento de que o uso de Ivermectina, suco de limão ou  caldo de cana possam eliminar o vírus”. Nada disso funciona.

Segundo ela, independentemente  de estar vacinado contra a dengue, o cidadão deverá manter em dia o calendário vacinal preventivo contra as outras doenças imunopreniveis de forma a evitar complicações caso seja infectado pelo virus da dengue, pois é conhecido que as doenças virais desestabilizma outras comorbidades no individuo, mesmo que estas já estejam controladas.

Com esse quadro, recomenda-se a visita à uma clinica SAÚDE LIVRE, munido da carteirinha de vacinação para atualizar a imunização e ficar mais protegido.

 

 

 

 

 

 

Comentários

0 Comentários

DÊ A SUA OPINIÃO!